Dicas pra você montar seu mochilão de forma mais leve e prática.

Não importa para onde eu esteja indo, as semanas que antecedem uma viagem são sempre mais ou menos a mesma coisa: arrumar passaporte, vistos e vacinas; escrever um roteiro geral (que eu vou jogar no lixo no meio do caminho, mas ainda assim…); comprar itens básicos que estão faltando – preciso de uma gilete, não me deixem esquecer! -; trocar dinheiro, fazer seguro, despedir dos amigos…

E fazer a mala. Ou, no meu caso, a mochila.

img_20160519_112105
Minha companheirinha de viagens. Digo a mala, não a gata!

Eu sempre deixo a mochila pro último minuto; é muito chato e eu sempre erro, então de que adianta começar uma semana antes? Não importa quantas vezes eu viaje, eu sempre erro: eu levo coisas demais, levo coisas que não uso, esqueço coisas importantes… Na última viagem, me esqueci do biquíni. Em compensação, foram dois pares de calça e um cachecol que sequer viram a luz do dia.

É impossível acertar 100%; ainda mais pra mim, que carrego uma mochila de 45 litros (e que nunca passou de nove quilos). Mas eu aprendi algumas coisas, sim. Algumas práticas simples que me ajudam a otimizar minha mala, diminuir os imprevistos e facilitar minha vida.

Aqui vão algumas delas:

  • Sempre leve roupa de banho, não importa quão frio seja seu destino. E leve também uma canga! São ótimas pra sentar na graminha do parque, embrulhar aquele souvenir de vidro que você comprou pra sua vó ou te esquentar no ar condicionado gelado dos ônibus. Pra mim, a canga equivale à toalha do Guia do Mochileiro das Galáxias.
  • Sempre leve uma toalha. Ás vezes o aluguel é caro ou o hostel sequer tem toalhas disponíveis.
  • Se você vai viajar por muito tempo ou se vai fazer vários destinos, prefira uma mochila à uma mala de rodinhas. Sim, suas roupas vão ficar um pouco amassadas, mas e daí? A conveniência de ter as mãos livres e a mochila nas costas compensa, eu te garanto.
  • Uma máscara de dormir e bons tampões de ouvido são seus melhores amigos, ainda mais em quartos compartilhados. Aqueles travesseirinhos de espuma também são ótimos (compre um com botões para dependurar na mala e economizar espaço).
  • Mesmo em viagens longas, é bem melhor levar produtos de higiene pessoal em frascos pequenos. Líquidos pesam muito, as embalagens fazem volume, e não é como se você fosse passar aperto pra achar xampu ou hidratante quando o seu acabar… Além disso, muitos hostels fornecem produtos ou disponibilizam os que foram deixados por outros viajantes. E com líquidos com menos de 100 ml, você não precisa sequer despachar a mala (se for leve, é claro).
  • Já que estamos no assunto, você precisa mesmo dessa quantidade de maquiagem? E da chapinha? E do secador? E do esmalte com acetona e removedor de cutículas? Um pouquinho de despego com a aparência pode facilitar muito sua vida, mas aí é uma questão de prioridades e gosto de cada um, claro.
  • O mesmo vale para acessórios. Pulseiras, brincos, colares, relógios… quanto menos, melhor – mesmo porque, esse é o tipo de coisa que a gente perde (ou que nos roubam) com facilidade.
  • Chinelas são indispensáveis! Você vai precisar delas, nem que seja só pra usar num chuveiro suspeito.
  • Leve roupas de exercício. Mesmo que você não pretenda correr na praia, atividades físicas muitas vezes fazem parte de viajar: escalar, fazer trekking, andar de bicicleta… e você não vai querer fazer tudo isso de calça jeans, all star e sutiã de rendinha.
  • Camadas, camadas, camadas… é melhor uma blusa de alça, outra de manga comprida, um suéter, um casaco e um moletom do que um sobretudo enorme sozinho. Usar camadas esquenta mais, ocupa menos espaço e te dá mais opções do que vestir.
  • Eu não tenho o hábito de fazer compras, mas às vezes a gente encontra coisas tão lindas e exóticas que é impossível conter o impulso! Sem contar que tem os presentes pra família e pros amigos. Em vez de ficar carregando isso tudo semanas à fio, correndo o risco de perder ou quebrar algo, que tal enviar suas compras pra casa? De navio fica super em conta.
  • Escolha bem seus eletrônicos. Um telefone pode passar por mp3 player, um tablet serve de notebook… e pra quem faz questão de sempre ter um livro, o Kindle (ou afim) é o melhor investimento de todos os tempos.
  • Se como eu você pretende cozinhar em hostels e/ou viver das refeições baratas que encontrar pelo caminho, talvez valha à pena investir em um mini kit de talheres, temperos e um bom tupperware. Aumenta – em muito! – o seu cardápio de coisas gostosas e saudáveis, ainda mais em países em que a comida é cara (ou ruim).
  • Essa todo mundo já sabe mas não custa repetir: nunca, jamais, em hipótese alguma coloque todo o seu dinheiro e cartões em único lugar. E tenha cópias físicas de documentos, passagens e reservas mais importantes, afinal a bateria do telefone sempre pode  acabar (ou então o aeroporto não aceita seu cartão de embarque no celular, vai saber; já me aconteceu).
  • Está com tudo pronto? Tudo separado? Não esqueceu nada? Espalhe tudo na cama e tire fotos. É muito útil pra ajudar a fazer as malas para a próxima viagem e você sempre pode verificar se está esquecendo alguma coisa na hora de pular de uma cidade pra outra.
img_20160519_091609
Isso é tudo que eu preciso pra 3 meses de calor.
  • Só pra terminar, algumas coisinhas pequenas que podem salvar nossa vida e a gente esquece que existe: lanterna, cadeado, capa de chuva, repelente e adaptador universal de tomadas. Também sempre tenho uma farmacinha particular (eu não vivo sem anti-alérgico, é um problema) e um estojinho minúsculo de costura.
img_20160519_091019
Minha farmácia vai na bolsinha vermelha, meu kit de costura vai no estojo de plástico. Ambos já me ajudaram MUITO!

Bom, acho que por hoje é isso, pessoal! Espero ter ajudado alguém. Se eu lembrar de mais alguma coisa acrescento depois, mas agora tenho mesmo que ir – a mala me aguarda.

P.S: Também tem boas dicas para fazer mala? Deixe nos comentários! Deus sabe que eu estou precisando…